Brasil lidera a adoção de pagamentos digitais

A modalidade PIX vem crescendo.


Embora todo o mundo esteja adotando meios de pagamentos digitais o Brasil tem sido um dos países onde estes meios de pagamento tem se tornado mais populares e atingido uma adoção mais rápida do que em outros lugares.

Impulsionados pelo PIX, os meios de pagamento digitais no Brasil tiveram um boom em 2021 e prometem avançar ainda mais em sua adoção em 2022.

O PIX se tornou rapidamente um dos meios de pagamento que mais caiu no gosto popular.



Esta forma de pagamento digital existe somente no país e permite pagar instantaneamente uma compra, transferir dinheiro para alguém, tudo isso sem tarifa.

Com toda essa facilidade inúmeros setores aderiram aos pagamentos via PIX. De lojas tradicionais online a cassinos com pix é possível pagar praticamente tudo com este meio digital. Até mesmo vendedores ambulantes já aceitam hoje em dia este método de pagamento.

O PIX foi lançado oficialmente em outubro de 2020, em meio a pandemia e hoje mais da metade da população brasileira já o utiliza, o que demonstra a rapidez da adoção de pagamentos digitais no Brasil.

A chave para toda essa adesão por parte dos brasileiros é o fato do Pix ser um sistema que permite transferências de recursos de forma rápida por meio de telefones celulares.

Sua instalação pelo usuário é simples, criando uma chave simples que pode ser um endereço de e-mail, número de telefone ou mesmo seu CPF.

Funcionando por meio de aplicativos de bancos e outras carteiras digitais criadas por fintechs já em seu primeiro ano foi utilizado ao menos uma vez por mais de 110 milhões de brasileiros movimentando cerca de 89 bilhões de dólares.

Hoje o Brasil registra mais transferências digitais do que o próprio Estados Unidos.

PIX: Lançamento no momento apropriado O lançamento do Pix ocorreu em um momento bastante oportuno para o país.

Com a maioria dos estabelecimentos tendo que ficar fechados durante a pandemia, o uso de dinheiro físico em pontos de venda reduziu cerca 25% no ano de 2020 também por questões sanitárias.

A informalidade também cresceu, sendo de quase 80% dos novos postos de trabalho surgidos no Brasil nos primeiros meses de 2021. Com isso e com o fato de o PIX ser um meio de pagamento digital quase tão fácil de usar quanto dinheiro físico a adesão foi rápida e superou as expectativas.

Especialistas previam uma boa aceitação por parte de pessoas físicas e previam que as pessoas jurídicas teriam uma adesão mais lenta, mas se surpreenderam com uma aceitação ainda mais rápida do que o previsto por ambas as partes.

Infelizmente os meios de pagamento digitais também possuem alguns riscos. No Brasil, alguns crimes tradicionais tem migrado sua forma de atuação e passado a se utilizar dos meios de pagamento digitais como o PIX.

Sequestros relâmpago, por exemplo, onde criminosos levavam as vítimas para efetuar saques em caixas eletrônicos agora mudaram a sua forma de atuação e os criminosos apenas convencem as vítimas a transferirem via PIX.

Mesmo as transações via PIX sendo rastreáveis, criminosos normalmente usam contas em nome de laranjas o que dificulta ainda mais a localização dos bandidos. Por essas e outras razões a partir de meados de 2021 formuladores de políticas financeiras adicionaram restrições semelhantes às dos caixas eletrônicos ao PIX, limitando valores de transferências à noite, quando esses tipos de crimes são mais praticados.

O PIX já enfrenta novos concorrentes, como os serviços de pagamento através do WhatsApp e do Facebook. Mas o Banco Central continua aumentando o alcance do PIX com inovações, implementando recentemente novas modalidades como o PIX-Saque e PIX-Troco.

Um dos maiores objetivos do Banco Central brasileiro com o lançamento do PIX foi inserir mais pessoas dentro da formalidade do sistema financeiro do país ao oferecer uma estrutura capaz de atender as necessidades de todos os brasileiros independente de sua classe social.

O PIX por si só ainda não é autossuficiente já que os cidadãos ainda necessitam de uma conta bancária ou de algum tipo de serviço de pagamentos para poder utilizá-lo.

De qualquer forma já foi percorrido um grande caminho para essa inclusão com a inexistência de taxas, acesso simplificado com um simples telefone celular e possibilitando transferências e transações financeiras ao alcance de um clique.

Com o surgimento de novas tecnologias e novos meios de pagamento digitais a tendência é que novos recursos cheguem não só através do PIX para simplificar ainda mais a vida de todos os brasileiros.

anuncio