Comércio do Vale do Paraíba deve contratar 2500 trabalhadores temporários para o Natal

Número é o mesmo de 2019


Muitos lojistas já estão selecionando currículos para as vagas temporárias de final de ano. O aquecimento das vendas já é uma realidade para o comércio, que agora se prepara para as vendas de Natal.

Segundo levantamento do Sindicato do Comércio Varejista de Taubaté e região (Sincovat), o varejo da RM Vale deve abrir 2500 empregos com carteira assinada esse ano. O número é o mesmo visto em 2019, último ano em que se pode observar certa "normalidade" no desempenho do setor, já que em 2020 as restrições impostas pela pandemia prejudicaram as vendas e os empregos.

"O consumidor está vacinado, os empregos estão voltando, mas o que preocupa é essa alta nos preços, o que pode frear um pouco as vendas. As famílias estão mais endividadas e, com isso, o consumo deve ser menor", relata o presidente do Sincovat e vice-presidente da FecomercioSP, Dan Guinsburg.

Os segmentos que devem liderar as contratações são os de vestuário, calçados e acessórios. Esses setores foram os mais impactados negativamente durante a crise do coronavírus e, hoje, estão com cerca de 1.600 empregos abaixo do nível pré-pandemia. Com isso, vão precisar reforçar seus quadros de funcionários para o final de ano.

Além disso, muitas lojas devem antecipar as contratações já visando as promoções de novembro, conhecidas como "Black Friday". E apesar da pandemia ainda existir, mesmo em situação um pouco mais controlada, a maior preocupação dos lojistas agora é com a inflação, que está reduzindo o poder de compra dos consumidores.

Quanto aos cargos que mais serão solicitados estão os de vendedores, repositores de estoques, caixas, empacotadores e seguranças. As vagas temporárias costumam ser boas oportunidades para um emprego fixo. "Tradicionalmente, cerca de 15 a 20% dos empregos temporários acabam ficando após a temporada de Natal", finalizou Dan Guinsburg.

*com informações do Sincovat.

anuncio