Cativando corações

Cativando os corações estreitaremos as distâncias que insistem em segregar as vidas.


Em tempos de distanciamentos e desconfianças, falar de vidas que se entrelaçam é algo utópico, pois cativar corações exige uma disposição de semear o bem de maneira paciente e confiante.

Como é bom emprestar o coração para a escola da simplicidade, tão distante da ganância e do orgulho presentes no comportamento social. A simplicidade tem o poder de facilitar o enredo de nossas vidas na busca de uma trajetória feita de sentimentos bons.

Cativar corações é olhar com mais profundidade a realidade do outro, escutar sem pressa o que o outro tem a nos dizer, não antecipando os julgamentos e as críticas, oferecendo o tempo sem apressar os passos.

Muitas pessoas vivem a carência de amizades sólidas e de relacionamentos que oferecem segurança e respeito, pois cativar é correr o risco de chorar um pouco, como escreveu Saint-Exupéry, escritor francês.

Como é simples trazer alegria aos que nos rodeiam, tornando a convivência mais leve e partilhando com mais intensidade as migalhas do bem. A escolha é nossa!

Que não percamos mais tempo com os dissabores e com as irritações. Ousemos apostar mais nas oportunidades da reconciliação e do abraço. O tempo da vida é muito curto para estacionar nossos corações nas indiferenças e nos ressentimentos.

Cativando os corações estreitaremos as distâncias que insistem em segregar as vidas.

               

anuncio