Num mundo de contrastes

A cada amanhecer, posso determinar se contribuirei com o bem-estar do mundo ou ajudarei a destruí-lo um pouco mais.


Em tempos de contrastes, esbarramos num amplo cardápio de comportamentos que reconfiguram as pessoas. Muitos são os estragos que a velocidade do tempo causou em todos os aspectos da vida.

                Temos velocidade em julgar os comportamentos e as posturas, temos pressa em condenar as atitudes e vamos catalogando, nos critérios de nossos valores, "o que é bom e o que é ruim, o que presta e o que não presta", a tudo o que vemos pela frente.

                Tudo isso nos fez apressados demais e perdemos a capacidade da contemplação, extraindo de nós o espaço da harmonia e do equilíbrio. Quem sabe essa nova forma de adornarmos nosso cotidiano, tenha destacado mais nosso modo de ferir que amar.

Recordando uma provocante canção de Renato Russo que diz: "Tem gente que machuca os outros, tem gente que não sabe amar" fui compreendendo a amplitude da dor que se espalha nos bastidores da vida humana.

Hoje, por coisas tão banais, criamos uma verdadeira guerra, e assim, segregamos a harmonia da boa convivência, da capacidade de relevar bugigangas que não merecem nossas atenções e virarmos páginas que não precisam continuar presentes em nossas vidas.

Tudo é uma questão de escolha! A cada amanhecer, posso determinar se contribuirei com o bem-estar do mundo ou ajudarei a destruí-lo um pouco mais e assim iniciar as minhas atividades. Seja o seu melhor e o mundo será mais harmonioso. 

anuncio