Concurso público ou processo seletivo: entenda de uma vez por todas as diferenças antes de fazer uma escolha definitiva

Concursos públicos e processos seletivos possuem vantagens, mas atendem necessidades distintas


As empresas públicas possuem duas formas principais de selecionar profissionais para compor seu quadro de funcionários: os concursos públicos e os processos seletivos. Ambos os tipos de ingresso à administração pública oferecem vantagens e regimes diferentes, assim como também são utilizados para situações diversas. Por isso, preparamos as principais características de cada um para facilitar a sua distinção e ajudar na escolha do certame mais indicado a você.

Os concursos públicos são bastante populares e atraem milhares de candidatos em todas as regiões do Brasil. Vistos como um sinônimo de status, os concursos públicos são processos complexos e rigorosos para a admissão de funcionários efetivos para desempenhar papéis na administração pública. 

Esse tipo de certame é regulamentado por edital publicado pela instituição de ingresso, que irá estipular todos os trâmites e as etapas da seleção. Geralmente, todos eles incluem uma prova objetiva, que avalia os conhecimentos gerais e pertinentes ao cargo a ser ocupado, e podem incluir também provas dissertativas, provas orais, comprovação de titulação, avaliação psicotécnica, avaliação física, entre outras de análise a depender do cargo ou da organização.

Após ser aprovado em todas as etapas, o profissional está apto a ser convocado para assumir seu cargo. Após a convocação, durante o período de três anos, o funcionário público irá passar pelo estágio probatório. Mediante a avaliação no final deste período, ele conquistará a estabilidade do serviço público e só poderá ser demitido se tiver um processo administrativo que comprove sua inaptidão para o cargo.

Já nos casos de processos seletivos o profissional entra no serviço público sem a rigidez e complexidade do concurso público. Igualmente concorrido, esses certames geralmente possuem um prazo limitado de contratação, o qual também pode ser rompido a qualquer momento, já que é feito para suprir uma necessidade temporária.

A seleção é muito menos rigorosa e é feita através de processo simplificado. Ele pode ser feito através de análise de currículo, provas objetivas, comprovação de título ou até mesmo entrevista. O funcionário público contratado não irá gozar de benefícios como a estabilidade do funcionalismo público, mas pode ser vantajoso para enriquecer o currículo e adquirir experiência.

A escolha por um ou outro tipo de seleção é pessoal e deve ser avaliada por cada um. Tanto os concursos públicos quanto os processos seletivos são recorrentes e realizados com certa frequência, de acordo com a disponibilidade de vagas. O concurso TJ MG, por exemplo, já está em andamento e o edital publicado para concurso público de remoção, ou seja, transferência para outro local de trabalho, possui 644 vagas disponíveis para serem ocupadas.

anuncio