Jacareí solicita municipalização de três rodovias estaduais

Ao longo dos anos e com o desenvolvimento de Jacareí, muitos bairros se instalaram às margens destas rodovias, o que aumentou o trafego


Reunião aconteceu em São PauloReunio aconteceu em So Paulo

A Secretaria de Mobilidade Urbana da Prefeitura de Jacareí solicitou ao Departamento de Estradas e Rodagem (DER) a municipalização de importantes trechos de rodovias estaduais que se transformaram em vias de grande tráfego da cidade. A solicitação do município para gerenciar a manutenção dos trechos aconteceu nessa quarta-feira (2), em São Paulo.

A meta da secretaria é que pela administração municipal, as estradas que hoje são estaduais recebam melhorias que possam reduzir os índices de acidentes. A proposta de municipalização das rodovias fará com que a Prefeitura de Jacareí atue de forma direta nestas vias, com responsabilidade de manutenção e intervenção nos trechos, proporcionando um trânsito mais seguro.

Jacareí pretende assumir a gestão de 7 km das rodovias SP-66 (Rodovia Geraldo Scavone – rotatórias de entrada do Parque e Jardim Califórnia e Rodovia General Euryale de Jesus Zerbine – entrada no bairro Bandeira Branca) e SP-77 (Rodovia Nilo Máximo – rotatórias do Jardim Pitoresco e Novo Amanhecer).

“São antigos e graves os problemas na entrada dos bairros, em especial nos horários de pico. A municipalização permitirá uma atuação mais rápida da Secretaria de Mobilidade Urbana como a instalação de semáforos, lombofaixas e sinalização, garantindo maior segurança aos munícipes”, disse o secretário municipal de Mobilidade Urbana, Edinho Guedes.

Vítimas fatais - Em 2016, foram registrados nos trechos das rodovias estaduais de Jacareí 72 acidentes com cinco vítima fatais. Em 2017, até o dia 2 de agosto, foram registrados 63 acidentes com uma vítima fatal.

Crescimento – Ao longo dos anos e com o desenvolvimento de Jacareí, muitos bairros se instalaram às margens destas rodovias, o que aumentou o trafego e levou a uma maior incidência de pedestres nesses locais. Com isso, uma atuação específica do município no controle e fiscalização destas áreas é necessária para garantir a segurança dos motoristas e dos munícipes, quem ficam vulneráveis em alguns pontos de travessia.