Pessoas com deficiência têm canal direto para reclamação sobre transporte público em Pinda

O munícipe pode registrar sua opinião por meio do Protocolo Digital da Prefeitura ou da Ouvidoria Municipal


A Prefeitura de Pindamonhangaba está reforçando junto aos munícipes com deficiência os canais que podem utilizar para realizar o registro de solicitações, sugestões e críticas a respeito da utilização dos serviços de transporte público no município.

O Setor de Transporte Público é gerido pela Secretaria Municipal de Segurança Pública, localizada na rua Rua José Anéas Rodrigues, nº 215, bairro Socorro, entretanto o munícipe pode registrar sua opinião por meio do Protocolo Digital da Prefeitura ou da Ouvidoria Municipal.

Pelo Protocolo Digital 1 Doc o munícipe poderá acessar a plataforma clicando no link https://pindamonhangaba.1doc.com.br/atendimento, após o cadastro de seus dados poderá encaminhar sua mensagem.

Pela Ouvidoria Municipal o contato pode ser feito via telefone 3644-5850, pelo e-mail ouvidoria@pindamonhangaba.sp.gov.br ou baixando o aplicativo E Ouve em seu smartphone, onde após se cadastrar, poderá encaminhar sua demanda. Ambos os canais aceitam a inserção de imagens e têm a possibilidade de preservar a identidade dos munícipes.

Na última semana, a Prefeitura de Pindamonhangaba está realizando a campanha "Fale Conosco" dirigida especialmente ao público com deficiência que utiliza o transporte público. Diversas publicações nas redes sociais, imprensa local e fixação de cartazes em espaços públicos estão sendo realizadas informando os canais de acesso para o registro de solicitações.

Pela atual legislação, as pessoas com necessidades especiais contam com diversos direitos assegurados em lei como: disponibilização de pontos de parada, estações e terminais acessíveis de transporte coletivo, disponibilização de sistema de comunicação acessível, prioridade nos procedimentos de embarque e desembarque nos veículos de transporte coletivo, concessão de passe livre às pessoas com deficiência, comprovadamente carentes, no sistema de transporte coletivo interestadual, proibição de cobrança diferenciada de tarifas ou de valores adicionais pelo serviço de táxi prestado à pessoa com deficiência, dentre outras.

"Segundo o IBGE hoje no Brasil temos no mínimo mais de 27 milhões de pessoas com algum tipo de deficiência, enfrentando diversos obstáculos na busca por uma vida social digna, por isso queremos que a pessoa com necessidades especiais tenha vez e voz e utilize o transporte com dignidade, tanto em relação à empatia que os demais usuários devem ter quanto à empresa prestadora do serviço", afirmou o secretário de Segurança, Fabrício Pereira.


anuncio