Em Piquete: Caso Marco Aurélio pode ser reaberto, após 36 anos do desaparecimento

Restos mortais estariam enterrados em um sítio próximo ao local do desaparecimento, segundo uma testemunha.


Marco Aurélio Simon, desaparecido desde 1985. Marco Aurélio Simon, desaparecido desde 1985. (Foto : Reprodução/YouTube)

A Polícia Civil de Piquete está prestes a desvendar um mistério que há 36 anos ficou sem solução, o sumiço do escoteiro Marco Aurélio Simon, de 15 anos, desaparecido desde 1985.

O adolescente fazia parte de um grupo de escoteiros que tinha a intenção de chegar, através de uma trilha, ao topo do Pico dos Marins, na divisa de São Paulo com Minas Gerais, na Serra da Mantiqueira, em Piquete. Após um dos escoteiros se machucar, Marco Aurélio teria retornado ao acampamento para buscar ajuda e, desde então, desapareceu. Nunca ninguém soube o que aconteceu e o caso foi arquivado em 1990, cinco anos depois do desaparecimento.

De acordo com o delegado da Polícia Civil de Piquete, Fábio Cabett, existe uma testemunha que teria apontado o local onde supostamente estaria a ossada do adolescente. A testemunha relatou que o pai dela, que morava em uma residência próxima ao local do desaparecimento, teria enterrado Marco Aurélio dentro da casa onde ele morava, após o filho deste homem, que teria transtornos mentais, ter assassinado o adolescente.

"A moça [...] resolveu falar [...] e apontou lá o lugar. Nós temos até a foto do local. Parece que o pai [da moça] era suspeito. Tem até um vídeo circulando na cidade sobre o assunto e, segundo esse vídeo, que ninguém sabe de quem é a autoria, esse filho que teria problemas mentais, matou o Marco Aurélio. Então, esse senhor teria enterrado o Marco Aurélio dentro de casa. Tempos depois,  esse filho se enforcou na floresta e que depois também ele teria sido enterrado na [mesma]casa. Agora, isso [o relato] aconteceu, a moça falou. Parece que três irmãs sabem [da história], inclusive o marido de uma  também saberia", disse o delegado.

Local onde supostamente estaria enterrado os restos mortais de Marco Aurélio. Local onde supostamente estaria enterrado os restos mortais de Marco Aurélio. (Foto : Reprodução/YouTube)

Reabertura do caso

O pai da vítima, o jornalista  Ivo Simon, de 82 anos, procurou a delegacia de Piquete para pedir a reabertura do caso.

Segundo o delegado novas provas foram colhidas. O caso foi arquivado há 30 anos.

"O que eu fiz até agora foi colher alguns documentos, novas provas, para embasar um pedido de desarquivamento do inquérito. Eu não posso ficar fazendo diligência sem ordem judicial, porque o inquérito está arquivado. Então eu juntei essas novas provas, porque eu só posso pedir desarquivamento com base em novas provas. Bom, temos novos indícios", disse.

Ainda de acordo com o delegado, o pedido para desarquivar o caso já foi feito. "Já pedi [o desarquivamento] para o Poder Judiciário de Piquete. Estou aguardando a decisão", explicou.

Conforme Cabett, se a Justiça autorizar a reabertura do caso, a investigação será feita. "Nós temos dois locais lá para diligenciar, mas temos que fazer um planejamento para fazer essa diligência. De repente encontramos essa ossada ou não. Só não posso investigar, sem ordem judicial", conclui.

O caso

No dia 8 de junho de 1985, um grupo de escoteiros seguiu em direção ao Pico dos Marins, uma montanha localizada na Serra da Mantiqueira, que divide os municípios de Piquete e Cruzeiro. Entre os escoteiros estava Marco Aurélio, um adolescente de 15 anos.

O grupo tentou fazer a subida até o topo, mas por causa de um dos jovens ter se ferido no trajeto, o chefe dos escoteiros pediu para que Marco Aurélio retornasse ao acampamento para pedir ajuda. Foi a última vez que o rapaz teria sido visto.

Quando o grupo chegou ao acampamento foi dado conta de que Marco Aurélio havia sumido.

Sumiço de Marco Aurélio é um mistério há 36 anos. Sumiço de Marco Aurélio é um mistério há 36 anos. (Foto : Reprodução/YouTube)

Buscas

Após o desaparecimento, o caso teve grande repercussão. Policiais civis e militares se mobilizaram em buscas que duraram 28 dias. Tudo em vão. Nunca mais Marco Aurélio foi encontrado. O caso misterioso, inclusive, foi tido como sobrenatural, com teorias de que o adolescente teria 'transcendido para um plano superior'.

Imprensa noticia o caso que teve grande repercussão. Imprensa noticia o caso que teve grande repercussão. (Foto : Reprodução/YouTube)

Família

O pai de Marco Aurélio, Ivo Simon, então com 81 anos,  concedeu uma entrevista no ano passado ao Domingo Espetacular. Ele disse que teria esperanças de encontrar o filho vivo.

"A hora que vocês [equipe de TV] forem embora, não sei se vou chorar ou se vou torcer para alguém que veja essa reportagem e diga: 'Puxa, aqui tem um garoto que se parece com o Marco Aurélio', porque eu digo que enquanto eu estiver vivo, eu vou buscar, eu vou buscar", disse emocionado.

Inquérito foi arquivado em 1990. Inquérito foi arquivado em 1990. (Foto : Reprodução/YouTube)

Marco Aurélio e o pai dele, Ivo Simon, que até hoje procura pelo filho desaparecido. Marco Aurélio e o pai dele, Ivo Simon, que até hoje procura pelo filho desaparecido. (Foto : Reprodução/YouTube)

*Por Marcos Bulques

 

anuncio